fbpx

Cachorro pode comer caju?

O caju é uma fruta tipicamente tupiniquim e, talvez por isso, é muito popular nas mesas brasileiras. Apesar do seu gosto forte dividir opiniões, o caju conta com muito fãs, inclusive alguns de quatro patas. No entanto, será que cachorro pode comer caju? O alimento possui várias vitaminas e rende um ótimo suco. Nesse caso, será que os amigos peludos podem se beneficiar desses nutrientes? Continue lendo para aprender sobre as frutas para cachorro e os cuidados ao servir o caju para o pet. 

Afinal, cachorro pode comer caju? 

De maneira geral, podemos dizer que sim, cachorro pode comer caju. Essa fruta tupiniquim está liberada para os peludos. Entretanto, isso não quer dizer que todos os cães são fãs desse petisco. 

O caju também é uma fruta polêmica para os pets, principalmente por sua característica adstringente, que dá aquela sensação que “amarra a boca”. Porém, se o cão é do time dos fãs de caju, saiba que ele pode aproveitar a fruta sem problemas. Basta seguir algumas recomendações para que o amigo peludo se alimente com segurança. 

Cuidados ao oferecer o caju

Se o cão gosta de comer frutas brasileiras, ele é um pet de sorte. Isso porque especialistas afirmam que cachorro pode comer caju. Porém, por mais que o alimento seja seguro para os pets, o tutor precisa tomar alguns cuidados na hora de oferecê-la. 

Corte em pedaços pequenos 

Apesar do caju ter uma pele macia, é recomendado que você o corte em pedaços pequenos. Esse ponto é importante especialmente para cães de pequeno porte, que podem se engasgar ao abocanhar a fruta. 

Ofereça apenas a fruta

Se você tem um cajueiro em casa, o ideal é manter o amigo longe da árvore. Isso porque apesar da fruta ser segura, a semente do caju é extremamente tóxica. Por isso, tome cuidado com o peludo. 

Permita apenas porções pequenas 

De maneira geral, os petiscos devem ser oferecidos em quantidades pequenas, mesmo as frutas e alimentos naturais. Apesar do caju para cachorro não ser prejudicial, o alimento não contém todos os nutrientes que nossos amigos precisam. 

A recomendação é que os petiscos nunca correspondam a mais de 10% da dieta total dos cachorros. Isso significa, no máximo, um caju para um cão grande e meia fruta para os pequenininhos. 

Evite o suco de caju

O caju pode até ser benéfico para os cachorros, mas é melhor deixar o peludo longe do seu suco. Como a fruta é muito adstringente, frequentemente o suco é adoçado. O açúcar em excesso pode trazer prejuízos para a saúde dos pets. Por isso, permita que seu amigo se delicie apenas com a fruta natural. 

Os perigos da castanha de caju 

Muita gente não sabe, mas aquilo que nós chamamos de caju na verdade não é uma fruta. Tecnicamente, a parte carnosa e aromática é um pseudofruto. O fruto do cajueiro é a famosa castanha, uma iguaria também muito apreciada. 

Apesar de muita gente achar que cachorro pode comer castanha de caju, a fruta possui uma substância chamada urushiol, um componente extremamente tóxico e perigoso para os pets. 

Depois de aberta e cozida, a semente fica segura e bem mais saborosa, mas mesmo assim não deve ser oferecida para os cães. A castanha de caju faz mal para cachorro mesmo cozida, pois é rica em gorduras e pode afetar o bom funcionamento do organismo dos pets. Por isso, dê preferência para a fruta ou outros petiscos mais seguros.

Benefícios do caju

Quando oferecido na quantidade certa e com os cuidados necessários, cachorro pode comer caju, já que a fruta possui muitas vitaminas que ajudar a fortalecer a saúde dos pets. São elas: 

  • Vitamina A: ligada à boa visão e à síntese de hormônios;
  • Vitaminas do complexo B: auxiliam o sistema nervoso e a metabolização de substâncias, 
  • Minerais: o caju contém ainda fósforo, magnésio e cálcio, substâncias importantes para o bom funcionamento do organismo. 

Viu como quando seguimos as recomendações de segurança, pode dar caju para cachorro sem problemas? Mas lembre-se que para os peludos aproveitarem as vitaminas na fruta, eles devem manter uma rotina saudável, com uma boa ração e exercícios frequentes. 

Fonte: Petz