fbpx

Tudo sobre a cirurgia de castração de cachorro

A cirurgia de castração de cachorro é um dos temas mais comuns e, ao mesmo tempo, mais polêmicos da medicina veterinária preventiva. Apesar de muito recomendado pela maior parte dos profissionais da área, o procedimento ainda gera muita dúvida sobre até que ponto a castração pode ser benéfica para o pet.

Para decidir se o procedimento é recomendado ao seu amigo peludo, o melhor é levar o cão a uma consulta com o veterinário. Após uma avaliação individual, ele também poderá dizer qual é o momento mais indicado para a cirurgia. Mas, como informação nunca é demais, confira o nosso guia com 7 perguntas e respostas sobre a castração.

Por que a cirurgia de castração é tão recomendada pelos veterinários?

Não são todos os veterinários que recomendam a cirurgia de castração de cachorro. No entanto, a maior parte dos profissionais da área concorda que ela é muito benéfica para a saúde dos cães, já que é capaz de prevenir ou diminuir o risco de uma série de doenças ligadas aos hormônios sexuais. 

Esse é o caso da piometra em cachorro, da pseudociese (gravidez psicológica) e dos tumores de mama, útero e ovário nas fêmeas. Já nos machos, a principal prevenção é contra o tumor de próstata.
O que é retirado do cachorro na castrações?

Os procedimentos de cirurgia de castração de cachorro são diferentes em machos e fêmeas. Para os machos, a cirurgia mais comum é a chamada orquiectomia, que consiste na remoção dos dois testículos. 

Nas fêmeas, por outro lado, o tipo mais recomendado de castração de cachorro, por prevenir uma gama maior de doenças, é a ovariectomia. Ela consiste na remoção cirúrgica tanto do útero como dos ovários. 

Uma vez que estas são estruturas mais internas, ao contrário dos testículos, a castração de cachorro fêmea é uma cirurgia mais invasiva, exigindo também um maior tempo de recuperação.
Qual é o melhor momento para fazer a castração?

Somente um veterinário, após avaliação individual, poderá indicar qual é o melhor momento para a cirurgia de castração. No entanto, em geral, recomenda-se que o procedimento seja feito pouco antes de o pet atingir a maturidade sexual. 

Ou seja, antes do primeiro cio das fêmeas e logo após o término do ciclo de vacinas pediátricas nos machos. O período exato em que isso acontece vai depender de fatores que variam de pet para pet, com destaque para o porte do cachorro.

A castração altera o comportamento dos cachorros?

É costume dizer que cachorro castrado é mais sedentário e comportado do que aqueles que não passaram pelo procedimento. Mas isso não é necessariamente verdade. 

Na realidade, a tendência da castração é inibir apenas certos comportamentos ligados aos hormônios sexuais, como a demarcação de território com xixi e a simulação de cópula em objetos diversos da casa — ou na perna das visitas. 

Já outros comportamentos, como agressividade, latidos em excesso e até disposição para brincar, têm muito mais a ver com adestramento e estilo de vida dos tutores do que com o procedimento propriamente dito.
A castração é um procedimento perigoso?

A cirurgia de castração de cachorro é um procedimento simples e bastante rotineiro na clínica veterinária, mas não está livre de riscos. Isso porque, assim como qualquer outra cirurgia, ela também requer o uso de anestesia. 

Esta pode ser arriscada em algumas situações. Daí a importância de levar o pet para um check-up completo no veterinário antes do procedimento. Dessa maneira, é possível identificar fatores de risco e encontrar alternativas.

Seja como for, converse com o veterinário e dê preferência ao uso da anestesia inalatória, mais segura que a intravenosa. Além disso, escolha sempre locais bem equipados e com profissionais de confiança para fazer o procedimento. 

Quanto tempo leva e como é a recuperação da castração?
Pelos motivos já levantados, após a castração de cachorro filhote e adulto, a recuperação dos machos é mais rápida que a das fêmeas. A Dra. Karina Mussolino, médica-veterinária, explica que o pet macho recebe alta no mesmo dia da cirurgia. 

Já no caso das fêmeas, o ideal é que elas permaneçam internadas e em observação nas primeiras 24 horas para controle de dor, pressão e possíveis sangramentos.

No momento da alta, é receitado o uso de anti-inflamatório nos primeiros sete dias. No entanto, a recuperação completa pode levar até 15 dias. Durante esse período, é recomendado que o pet fique de repouso e faça uso de colar protetor ou de roupa cirúrgica de cachorro. 

De acordo com a Dra. Karina, algumas recuperações são tão tranquilas que chega a ser difícil controlar as estripulias do pet. “Eles até se esquecem de que estão operados”, diz. Por isso, é bom ficar de olho!

Quais são os cuidados no pós-operatório da castração?

Além de controlar a dor com o uso de anti-inflamatório receitado pelo veterinário, o principal cuidado é garantir que os pontinhos da cirurgia sejam preservados. Nesse sentido, o colar elizabetano e a roupa cirúrgica evitam que o pet consiga lamber ou arrancar os pontos. Lembre-se de que a saliva contém bactérias que podem causar infecções no local! 

Também para evitar contaminações, a limpeza da sutura da pós-operação em castração de cachorro deve ser feita diariamente, com o uso de algodão limpo e produto indicado pelo veterinário. Além disso, ao menos nos primeiros dias, é interessante deixar o comedouro e o bebedouro mais próximos à caminha para reduzir os esforços físicos do pet.

Por fim, os pontos da cirurgia em cachorro devem ser removidos somente pelo veterinário na consulta de retorno. Nesse momento, ele também avaliará o estado de saúde geral do cachorro após a castração. 
 
Fonte: Petz