fbpx

Tudo sobre a Gripe felina

A estação mais fria vem chegando e, com ela, o medo das temidas gripes. Por esse motivo, os pais e mães de pets também devem ficar atentos, já que a gripe felina é uma das doenças mais comuns entre os bichanos. 

 Que é a gripe felina?

Apesar de ser uma doença bastante conhecida, ainda há muitas dúvidas sobre a gripe felina. Afinal, o que é esse problema? O Dr. Bruno Saito, explica que chamamos de gripe toda enfermidade que ataca o sistema respiratório, gerando alguns sintomas comuns. 

Assim, ela pode ter diferentes origens, dependendo do agente causador. Entretanto, geralmente o termo está associado à rinotraqueíte, uma condição perigosa para os bichanos, conhecida por ser extremamente contagiosa. 

Os sintomas podem até ser parecidos, mas não devemos confundir com os resfriados que atacam os humanos. O veterinário afirma que as causas são bem diferentes e é necessário atenção a fim de não subestimar essa doença.

Causas da gripe felina

Como diferentes fatores podem levar o bichano a ter problemas respiratórios, as causas de gato com gripe também podem variar. A rinotraqueíte, problema mais associado ao resfriado em peludos, é originada a partir de três agentes principais. São eles:

Herpesvírus Felino: um vírus muito contagioso, também chamado de HVF;  

Calicivírus Felino: também um vírus com alta capacidade de contágio, conhecido como CVF,

Chamydophila felis: uma bactéria que também causa rinotraqueíte em gatos, mas é mais rara. 

O bichano se contamina ao entrar em contato com um pet doente. Isso ocorre principalmente com gatos que saem à rua. É importante lembrar que a doença é muito contagiosa e qualquer contato com um bichano infectado pode ser suficiente para desenvolver a gripe em gatos. 

Entretanto, o Dr. Ítalo Oliveira, médico-veterinário,reforça que outras situações também podem levar o pet a problemas respiratórios, como uma simples rinite em gatos. Por isso, é fundamental buscar ajuda de um veterinário. 

Sintomas da gripe em gatos

Perceber um gato com gripe felina não é difícil. O bichano frequentemente apresenta sinais relacionados a um resfriado comum, com problemas respiratórios e outras complicações. O Dr. Ítalo destaca que os sintomas de gripe em gatos mais comuns são:

  • Tosse;
  • Espirros;
  • Secreções nasais;
  • Secreções oculares;
  • Febre;
  • Perda de apetite,
  • Apatia.

Em outras palavras, o gato fica com jeitinho de doente: desanimado, tossindo, podendo até mesmo apresentar febre. Entretanto, observar os sinais do seu amigo não é suficiente. Para um diagnóstico preciso é fundamental consultar um veterinário. 

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da gripe felina e tratamento deverão ser feitos através de uma consulta com um veterinário de confiança. O Dr. Bruno explica que o especialista analisará os sintomas e o histórico do bichano e, a partir dessas informações, poderá concluir a causa da doença. 

É possível realizar alguns exames de sangue para identificar o vírus causador da rinotraqueíte. O procedimento, no entanto, não é realizado com frequência. Já o tratamento, na maioria das vezes, consiste na chamada “terapia de suporte”. 

Isso significa que o tutor deve oferecer todas as condições para que o peludo tenha forças a fim combater a doença. Para isso, alguns passos são necessários para que haja uma melhora no quadro de saúde do pet, inclusive o uso de remédio. São eles: 

Hidratação: ofereça sempre água fresca e limpa para seu peludinho;

Ração de qualidade: se você preferir, recomenda-se misturar ração úmida à ração seca para agradar o bichano e, ainda, estimular a hidratação,

Remédios de suporte: em alguns casos, podem ser recomendados remédio para gripe de gato e antibióticos a fim de combater infecções secundárias. Além disso, o suplemento alimentar pode ser uma boa ideia para alguns bichanos. Porém, essas medidas devem ser tomada apenas com orientação médica. 

Tomando os cuidados acima, o bichano rapidamente estará forte e livre da gripe! O Dr. Bruno explica que a taxa de recuperação de gato gripado é extremamente alta. Entretanto, vale lembrar que a partir desse momento o gato se tornará portador do vírus. Assim, poderá contaminar um outro pet caso entre em contato. 

Prevenindo a gripe felina

A gripe pode trazer muito desconforto para nossos amigos. Além disso, é considerada uma das doenças mais contagiosas entre os pets! Por sorte, esse é um problema fácil de prevenir. 

O Dr. Bruno explica que a vacina para a rinotraqueíte está no calendário obrigatório dos bichanos. Ela faz parte da chamada vacina polivalente, também conhecida como V3 ou V4. 

“A vacina proporciona produção de anticorpo contra os principais agentes que causam morbidade em felinos”, comenta o Dr. Ítalo. Porém, é importante lembrar que além da vacinação básica, é necessário aplicar os reforços para manter o organismo do peludo forte e preparado. 

Com uma nutrição adequada, exercícios frequentes e visitas regulares ao veterinário, o peludo irá manter a imunidade elevada e poderá combater a gripe felina sem problemas! 

Por fim, lembramos que ao buscar um veterinário é sempre recomendado escolher uma clínica de confiança, que poderá acompanhar seu amigo por muitos anos. Assim, o especialista poderá analisar o desenvolvimento do peludo e notar qualquer alteração em seu organismo rapidamente.

Fonte: Petz