fbpx
  • Home
  • Blog Dynamic
  • Cães e fogos de artifício: Dicas para reduzir o risco dessa combinação

Cães e fogos de artifício: Dicas para reduzir o risco dessa combinação

 

Para quem tem pet, dias de festa são assim: a animação de eventos como a virada do ano e finais de campeonato acaba ofuscada pela preocupação com o animal devido ao excesso de barulho. Que a relação entre os fogos e cachorro em casa nunca foi muito boa, isso muita gente sabe.

Com a audição mais sensível que a nossa, fica fácil entender porque cachorro tem medo de fogos. Eles se assustam com os estrondos e instintivamente procuram um lugar para se esconder. Nessa hora, muitos se machucam, ficando presos em janelas e portões, batendo contra portas de vidro ou até se enroscando na coleira.

Muitas cidades ainda não possuem leis para que os fogos sejam silenciosos. Portanto, nada melhor do que entender mais sobre o que fazer com o cachorro na queima de fogos. Confira as dicas e proteja seu bichinho!

Providencie um porto seguro para o cachorro

Por mais que você queira seu animal por perto, entenda que o momento pode deixar o cachorro assustado. Portanto, deixe um cantinho preparado, como uma casinha ou uma caixa de transporte.

Para ficar ainda mais aconchegante, coloque no esconderijo cobertores, toalhas e até peças de roupa com o seu cheirinho. Elas podem ajudar a acalmar o animal. Procurar abrigo é uma reação natural e, portanto, o ideal é que exista um local pronto e seguro para ele.

Deixe o caminho livre

Na tentativa de se abrigar rapidamente, não são raros os casos de pets que não calculam muito bem o espaço de um portão e ficam entalados, que se machucam com objetos cortantes e assim por adiante.

Por isso, fique de olho em taças e garrafas de vidro no chão, deixe as portas de dentro de casa abertas e garanta que o seu companheiro tenha um caminho livre e seguro para chegar ao abrigo.

Feche janelas e portões

Quando falamos em deixar a passagem livre, estamos querendo dizer dentro de casa, do lugar em que você está até o cômodo em que se encontra a caminha ou a caixa de transporte que servirá de refúgio para o animal.

A pior coisa que pode acontecer nessa hora é o pet escapar para a rua, onde ele corre o risco de ser atropelado e de se perder. Por isso o ideal é você se certificar de que portões e janelas acessíveis ao cachorro estão bem fechados.

Utilize protetores auriculares

Pode parecer bobagem, mas colocar protetores auriculares no cachorro na hora da queima de fogos contribui para que ele fique menos assustado. Na verdade, fazer isso é bom por dois motivos: reduz o susto e protege a audição.

Para obter os melhores resultados, prefira os protetores específicos para proteger ouvido de cachorro com fogos. Mas, se não encontrar, improvise com um pouquinho de algodão (em volume suficiente para que não vá para o fundo do conduto auditivo, mas também sem excessos, para que não caia da orelha).

Aposte no uso de feromônios

Os feromônios sintéticos mimetizam substâncias liberadas pela fêmea durante a amamentação dos filhotes e aumentam a sensação de acolhimento e tranquilidade dos animais. Isso os ajuda a lidar com situações estressantes, como é o caso da queima de fogos. É uma boa alternativa de técnica para acalmar o cachorro com fogos nos dias de eventos.

Fique por perto e tenha empatia

Há quem diga que o melhor a fazer quando o pet está assustado é ignorá-lo. Isso não é verdade! Deixar o cachorro, ou qualquer outro animal, sem suporte pode causar ansiedade e outras complicações para a saúde dele. Mas também não se deve ir ao outro extremo e pegar o pet no colo ao menor ruído excessivo, porque isso pode assustar ainda mais o animal.

Ser companheiro pode ser o melhor remédio para acalmar o cachorro dos fogos. Procure se mostrar disponível e, de preferência, tente brincar com o cão ou oferecer a ele alguns petiscos. A ideia é que ele perceba que está tudo bem e que não há motivos para ele se preocupar com o barulho.

Procure acostumá-lo aos fogos antecipadamente

Expor o animal a vídeos e programas de TV com barulhos altos, como os de fogos ou trovões, pode ir dessensibilizando o animal ao longo do ano, mas isso não se dá de um dia para o outro. Nesses momentos, dê carinho, petisco e brinque com o pet, para que ele comece a associar ruídos altos com momentos gostosos e prazerosos ao seu lado!

Casos de cachorros muito medrosos também devem ser levados à sério. Em animais com esse problema, é importante utilizar técnicas anda mais específicas, receber orientações de um profissional em comportamento canino pode ajudar bastante.

Font: Petz