fbpx

Depressão em cachorro: saiba como identificar

Em algumas épocas, como no inverno, é normal que os pets fiquem mais sonolentos e preguiçosos. No entanto, isso não deve ser confundido com depressão em cachorro.

O mesmo vale para determinados momentos da vida. Afinal, é normal que alguns cães apresentem um comportamento mais pacato. Os idosos, por exemplo, são mais calminhos que os filhotes.

Uma condição psicológica, como a depressão canina, pode ser percebida por sintomas semelhantes aos da doença em humanos.

Portanto, é importante conhecer bem o temperamento do animal a fim de identificar a depressão o quanto antes para buscar um tratamento. Vamos descobrir como fazer isso?

Conheça possíveis causas da depressão em cachorro

Os cachorros são sempre lembrados por sua disposição e alegria. Muitas vezes, isso é demonstrado até em situações desafiadores, como quando o pet apresenta algum tipo de deficiência. Então, de onde vem a depressão em cães?

“Ela pode ocorrer principalmente em casos em que há muita dependência emocional do cachorro em relação a seu tutor”, explica a médica-veterinária, Erika Turim.

“Nesses casos, qualquer alteração na rotina da família pode desencadear a depressão”, explica a especialista.

Causas frequentes da doença

  • Mudança no ambiente;
  • Morte de um membro da família ou de outro pet;
  • Chegada de um novo membro (pessoa ou animal de estimação);
  • Maus tratos;
  • Adestramento inadequado (punitivo),
  • Falta de vínculos e de estímulos (cachorro sozinho por muito tempo).

Por serem possíveis gatilhos, todas essas situações devem receber atenção especial do tutor. Converse com um veterinário sobre a melhor forma de lidar com cada um dos sintomas de depressão em cachorro.

Como reconhecer a depressão em cachorro

Por si só, a depressão em cachorro é um problema que deve ser levado a sério à medida que compromete a saúde psicológica do pet.

No entanto, ela também traz consequências físicas. Até porque, passa a interferir na alimentação, no sono e em todas as atividades diárias do cachorro.

Por isso, fique atento aos seguintes sintomas para saber se seu cachorro tem depressão ou não:

  • Perda de apetite e consequente perda de peso;
  • Isolamento;
  • Agressividade repentina;
  • Olhar triste,
  • Lambedura e coceira excessiva.

Leve seu cachorro para um profissional

É importante destacar que, apesar de semelhantes aos da depressão em humanos, os sintomas são inespecíficos e podem indicar uma série de outras doenças.

Sendo assim, caso o pet apresente um ou mais dos sinais, leve-o ao veterinário o quanto antes para uma avaliação!

Bem-estar no dia a dia é a melhor forma de afastar a depressão

Para que sejamos felizes, além das necessidades básicas, dependemos também do convívio com outras pessoas e de diversas outras atividades que despertam nosso interesse pelo mundo. E com os cachorros não é diferente!

Para garantir seu bem-estar, não basta oferecer a eles apenas água, comida, atendimento veterinário e um local para dormir. Eles também precisam de estímulos diários capazes de atender suas necessidades físicas e mentais.

Por isso, para manter longe a depressão em cachorro, procure dedicar algumas horas ao pet diariamente, faça passeios com ele e capriche no enriquecimento ambiental com brinquedos interativos.

Um cachorro estimulado física e mentalmente é um cachorro saudável e feliz!

Fonte: Petz