fbpx

Dicas para um carnaval “animal”


O carnaval está aí e quem pensa que só as pessoas curtem os dias de folia está enganado! Isto porque muita gente não deixa seu pet de lado nesta época do ano, levando os bichinhos, principalmente os cachorros, para brincar nos blocos pet friendly ou como companhia durante as viagens do feriadão. Mas para que a festa termine bem, é preciso ficar de olho, para não expor seu “amigão” a riscos.

Fantasias

Antes da festa, um dos principais os cuidados é a escolha das fantasias usadas pelos pets, verificando se elas não fazem com que o bicho sinta muito calor ou fique desconfortável, com os movimentos comprometidos.

Já as tintas, glitter e outros “adereços” podem provocar coceiras, alergias ou até mesmo intoxicação nos pets, como explica o veterinário da Virbac Ricardo Cabral.

“É muito importante ficar de olho nas reações do animal. As fantasias e as roupas, de forma geral, abafam a pele do cachorro, o que pode alterar o microbioma da pele, ou causar uma dermatite alérgica de contato, com o crescimento de fungos e bactérias”. Nestes casos, a recomendação é procurar um veterinário e buscar produtos que aliviem a coceira e a alergias, como xampus especiais.

Calor e hidratação

Com o carnaval em pleno verão, o que em muitas cidades significa dias de calor (e não só chuva, como é comum em Curitiba), outra dica é cuidar com o sol em excesso e a hidratação dos pets.

De acordo com a veterinária e gerente de clínicas da Petz Karina Mussolino, sob o sol forte os animais podem ter hipertermia, que é quando a temperatura corporal fica muito elevada.

“Por isso, o melhor é não expor o pet diretamente ao sol por períodos prolongados, entre 10h e 16h, quando as temperaturas estão mais altas”, recomenda. Outra medida é ter sempre uma garrafinha com água e uma vasilha, para não deixar o animal passar sede. E não esqueça das patinhas, que podem se queimar no piso quente.

Barulho

Com uma audição poderosa e sensível, os animais podem ficar incomodados ou se assustarem com o som alto da folia nas ruas. Assim, cabe ao tutor avaliar se vale a pena expor o bicho a estas condições, priorizando sempre o bem estar dos pets. Além do barulho, estar no meio de multidões também pode ser desagradável e até perigoso para o bicho, que pode se perder ou fugir, se estiver sem coleira.

Vacinas e antipulgas

Mesmo no carnaval, os cuidados com a saúde devem ser prioridade. Assim, garanta que a carteira de vacinação do pet esteja em dia e não deixe de reforçar os cuidados contra pulgas, carrapatos e outros parasitas que adoram “atacar” no verão.

Para não ter problemas, veja com seu veterinário de confiança quais vacinas e produtos são os mais indicados para seu animalzinho, de acordo com sua espécie e peso.

Cuidando do seu cachorro e gato, todos podem curtir o carnaval com alegria e sem riscos.

 

Fonte: R! Tribuna

Tags: carnaval, carnavalpet