fbpx
  • O 1º comedouro
    biodegradável e atóxico
    do Brasil

    COMPRAR

  • Já conhece o
    Patalimpa?

    COMPRAR

  • Não polui o meio
    ambiente

    COMPRAR

  • Não deixa resíduos

    COMPRAR

  • É muito mais seguro
    para a saúde do seu pet.

    COMPRAR

  • Faça o seu pedido
    agora pela nossa loja online!

    COMPRAR

  • Pense verde. Sonhe alto.
    Mude o mundo.

    COMPRAR

Compre sem sair de casa!

R$ 45,00

R$ 45,00

Bowl Grande - 1.500ml
R$ 35,00

R$ 35,00

Bowl Pequeno - 500ml
Preço sob consulta

Preço sob consulta

Patalimpa + 1 Refil

Gato perdendo pelo: como ajudar o seu bichano?

A troca de pelo é um processo natural em todo mundo animal. Mas o que fazer se você achar que seu gato está perdendo muito pelo? Nesses casos, é hora de observar os sintomas e buscar auxílio. Neste guia, iremos falar sobre as causas, sintomas e tratamento para um gato perdendo pelo. 

Assim como nós, os bichanos também passam por uma troca de pelagem regularmente. Mas, em alguns casos, a queda excessiva pode significar algo mais. Continue lendo para saber mais.

Um processo natural

“O pelo do meu gato está caindo! O que eu faço?!”. Antes de mais nada, muita calma! A boa notícia é que seu bichinho deixar muito pelo na sua roupa depois de uma sessão de carinho é um cenário perfeitamente normal.

Por isso, conforme explica a médica-veterinária, Dra. Suelen Silva, a troca de pelagem é um processo natural dos bichanos. Assim como nossos cabelos, os pelos possuem um ciclo de vida. Eles nascem, crescem e, após um tempo, morrem e caem. “O ciclo médio é de 21 dias”, comenta a veterinária. 

Mas e se você notar o gato perdendo mais pelos do que o usual? Também faz parte desse processo? A Dra. Suelen explica que, em alguns casos, sim. Os pets passam por fases em que perdem mais pelos do que regularmente. “É mais fácil de observar essa queda em algumas situações”, afirma. 

A especialista diz que há três momentos chaves para o gato perder pelo. Veja a seguir.

Mudança de pelagem de filhote para adulto

Quando seu gatinho começa a amadurecer com, mais ou menos, quatro meses é hora de ele adquirir algumas características de adulto. Entre elas estão os pelos!

Troca de pelos durante as estações

Os felinos também se preparam para as temperaturas mais frias trocando de pelos. De acordo com as estações os bichanos podem apresentar uma troca de pelagem mais intensa. Mas, esse fato não é observado com muita frequência no Brasil, especialmente em locais mais quentes, onde as variações de temperatura não são tão intensas. 

Mudança de pelagem de adulto para idoso

A Dra. Suelen lembra que, quando o pet passa para a maturidade, também pode haver uma queda maior de pelos. Isso ocorre, geralmente, quando ele atinge 7 ou 8 anos. 

Assim, se seu pet deixa alguns pelos no sofá ou na almofada, não há motivos para preocupação. Agora, se você está notando uma queda acima do normal, pode ser que seja um problema mais complexo. 

Se o gato perdendo pelo está causando muita preocupação, ficar de olho em alguns sinais pode ajudar. 

Como perceber o problema

Observando alguns sinais em seu amigo peludo, você poderá diferenciar uma queda normal de um problema de saúde. Segundo a  Dra. Suelen, os tutores devem ficar atentos aos seguintes sintomas:

Perda de pelos localizada: gato perdendo pelo em cima dos olhos e não em outros locais pode ser um problema de saúde. Segundo a veterinária, quando o bichano está apenas trocando de pelo a queda é uniforme, o contrário já exige atenção.

Pelos que saem facilmente: as enfermidades dermatológicas fazem com que o pelo se desprenda facilmente, em tufos. Então fique de olho.

Coceira: um gato se coçando e perdendo pelo é um sintoma que também pode indicar problemas de saúde. Pets se coçam o tempo todo, mas se a prática está atrapalhando as atividades do bichinho, talvez seja um problema de saúde. 

Além dos sinais acima, a Dra. Suelen lembra que o tutor deve estar sempre atento a seu pet. Mudanças comportamentais, alterações de humor, apatia e outros sintomas sempre indicam problemas. 

No caso dos bichanos, especialistas dão uma dica especial: gatos são animais muito higiênicos. Se o seu não está fazendo suas limpezas rotineiras, ele provavelmente está precisando de ajuda. 

Gato perdendo pelo: o que pode ser?

Algumas doenças podem fazer com que você se depare com seu gato perdendo pelo na cabeça ou em outras partes do corpo. Apesar de, aparentemente, este não ser um problema sério, um veterinário sempre deve ser consultado. 

A Dra. Suelen explica alguns dos motivos que podem deixar um gato perdendo pelo:

Doenças dermatológicas: problemas de pele, em sua maioria, causam queda de pelos em gatos. Sarnas, alergias ou dermatites podem ser a origem do problema. 

Parasitas: a velha conhecida pulga pode ser um dos motivos para queda de pelos. Como o bichano fica com muita coceira, o movimento repetitivo de coçar pode levar a manchas e quedas localizadas. 

Má nutrição: notou seu gato emagrecendo e perdendo pelo? Certifique-se que ele esteja ingerindo as vitaminas necessárias. Procure oferecer ração de qualidade e lembre-se de que bichanos são muito seletivos em sua alimentação. 

Estresse: o estresse também pode deixar seu gato perdendo pelo. Verifique se houve alguma mudança na rotina da casa ou um trauma recente na época em que você notou seu gato perdendo pelo no pescoço ou outros lugares do corpo. 

Para saber a origem do problema, é sempre recomendado procurar um especialista. Ele saberá passar as instruções para cada caso. Para evitar a queda de pelos, a Dra. Suelen recomenda evitar que o bichano acesse à rua, oferecer ração de qualidade, um ambiente tranquilo e, claro, visitas regulares ao veterinário. 

Diagnóstico e tratamento

Conforme explica a Dra. Suelen, quando um veterinário atende um gato perdendo pelo ele deverá realizar alguns exames. Além de investigar o ambiente e os sinais clínicos, o especialista pode solicitar testes complementares, que indicarão a origem do problema. 

Por isso, detectar a causa da perda de pelos é essencial para uma boa recuperação. “O tratamento vai depender da causa primária”, explica a médica-veterinária. Atuando na enfermidade principal, a queda deve diminuir. No entanto, a Dra. Suelen explica que algumas terapias complementares podem auxiliar. 

“Alguns suplementos à base de proteínas, minerais e vitaminas auxiliam na renovação celular, no crescimento saudável do pelo e na diminuição da queda”, complementa. 

Assim, manter seu pet com o pelo saudável não é só uma questão de estética. Eles espelham a saúde dele. Então, se notar um problema de pelagem em seu animal, procure o médico-veterinário. 

 

 

Leia mais...

Olhos Vermelhos nos pets: o que pode ser?

Olhos vermelhos são um sintoma comum a várias doenças que podem afetar os cães e gatos. Para cada uma delas há um diferente tratamento, e por isso é importantíssimo que se faça um diagnóstico rápido e preciso.

Algumas das afecções que podem causar olhos vermelhos são consideradas urgências oftalmológicas por colocarem em risco a visão do paciente, além de causarem dor e desconforto.

Entre elas estão o glaucoma (aumento da pressão do olho), e as úlceras de córnea (lesões na camada mais superficial do olho).

Outras doenças podem ser crônicas e ter um desenvolvimento mais lento como a doença do olho seco. Nem por isso, esses casos devem ser negligenciados, uma vez que frequentemente evoluem pra condições mais graves.

Há ainda casos em que os olhos vermelhos são um sinal de doenças sistêmicas como o que acontece em algumas conjuntivites e uveítes (inflamação da parte vascular do olho).

Em cães podem ser um sintoma de cinomose, linfoma, doença do carrapato, diabetes, entre outras.Nos gatos podem ser causados, por exemplo, pelo vírus da  FIV, FeLV, PIF , fungos e neoplasias.

Como se pode perceber, um sintoma comum, que pode facilmente percebido pelos tutores pode indicar várias doenças importantes nos cães e gatos. Portanto, se o seu pet apresentar um ou ambos olhos vermelhos, leve-o imediatamente para ser avaliado por um médico veterinário capacitado.

 

Fonte: petcare

Leia mais...

Como prevenir o câncer de pele no pet?

Como você cuida da pele do seu pet, principalmente nas temporadas de verão? Se você não toma nenhum cuidado adicional, é bom ficar atento e adotar atitudes preventivas para livrar o seu filho de quatro patas do câncer de pele.

A primeira coisa a se fazer é não deixar o bichano exposto ao sol, principalmente naqueles períodos do dia que nós sabemos que são mais perigosos – meio da manhã até o final da tarde. Se notar qualquer protuberância, cujo centro fica escuro e apresenta feridas ou uma massa de pele branca, vá imediatamente ao médico veterinário, pois esses são indicativos da doença.

Leia mais...