fbpx
  • O 1º comedouro
    biodegradável e atóxico
    do Brasil

    COMPRAR

  • Já conhece o
    Patalimpa?

    COMPRAR

  • Não polui o meio
    ambiente

    COMPRAR

  • Não deixa resíduos

    COMPRAR

  • É muito mais seguro
    para a saúde do seu pet.

    COMPRAR

  • Faça o seu pedido
    agora pela nossa loja online!

    COMPRAR

  • Pense verde. Sonhe alto.
    Mude o mundo.

    COMPRAR

Compre sem sair de casa!

R$ 45,00

R$ 45,00

Bowl Grande - 1.500ml
R$ 35,00

R$ 35,00

Bowl Pequeno - 500ml
Preço sob consulta

Preço sob consulta

Patalimpa + 1 Refil

Câncer de Próstata em cachorro

Cães machos também podem desenvolver a doença. A boa notícia é que, assim como para seres humanos, tomar medidas preventivas, como exames de rotina, ajuda a obter um diagnóstico precoce. Isso melhora muito o prognóstico e pode até evitar o quadro.

O que é o câncer de próstata em cachorros?

Assim como os homens, cães machos também possuem a glândula sexual próstata. Localizada predominantemente no espaço retroperitoneal, caudal à bexiga, ela é responsável pela produção de um líquido que serve para proteger os espermatozoides.

O câncer de próstata em cães ocorre quando há uma multiplicação anormal e desordenada de células na região, o que causa o edema (inchaço) dessa glândula e o comprometimento da saúde do pet.

Principais sintomas do câncer em cães

Como com diversas outras doenças graves, os sintomas de câncer de próstata em cães costumam não aparecer em seus estágios iniciais. Conforme o quadro se complica, é possível notar os seguintes indícios:

  • Dificuldade em urinar;
  • Gotejamento de sangue pelo pênis;
  • Urina com sangue;
  • Infecções urinárias que não respondem ao tratamento;
  • Dificuldade ao defecar e/ou com fezes em formato de fita,
  • Espasmos musculares (ao tentar urinar).

Além desses sinais, o cachorro com câncer de próstata pode apresentar outros sintomas menos específicos, entre eles vômito, apatia e febre.

A importância do diagnóstico precoce

O tratamento do câncer de próstata de cachorro, como dito anteriormente, tem maiores chances de sucesso quando diagnosticado precocemente. Em cães, porém, há um descuido em realizar exames de rotina para check-up.

Isso, por sua vez, leva ao diagnóstico tardio, culminando em maior incidência de óbito. Afinal, chances de cura são bastante reduzidas, uma vez que o animal estará em fase final da doença.

Já quando identificado em estágio inicial, o sucesso terapêutico se torna bem maior. Isso porque, com um tratamento que costuma incluir castração, remoção cirúrgica da próstata (quando possível) e sessões de quimioterapia, o câncer de próstata em cachorro tem cura certa!

Como os sintomas mais perceptíveis só costumam aparecer conforme o avanço da doença, a maneira mais eficaz de identificar o câncer em cachorro logo no início é levando o pet para check-ups regulares ao médico-veterinário.

Durante a consulta, o veterinário poderá fazer a palpação retal e solicitar diversos exames, como:

  • raio-X;
  • ultrassom abdominal,
  • exames séricos (exame de sangue),
  • exames de urina.

Tais exames devem ser realizados anualmente em cães machos adultos e idosos não castrados. Eles são os que correspondem ao principal grupo de risco da doença.

Como prevenir o câncer de próstata em cachorro?

Além dos medicamentos e de fazer o acompanhamento no médico-veterinário, a principal forma de prevenção do câncer de próstata em cachorros é a castração. Isso porque, embora cães castrados possam desenvolver a afecção por algum fator genético, estudos mostram que o procedimento é capaz de reduzir a ocorrência da doença.

Fonte: Petz

 

Leia mais...

Cachorros medrosos: como agir?

Um cachorro medroso tem diferentes formas de mostrar que está com medo. Ele pode se esconder em um lugar que acha seguro, latir desesperadamente, evitar o contato com tutores, tornar-se agressivo e até rosnar e andar para trás.

Geralmente, um cachorro traumatizado apresenta essas características porque teve dificuldades de sociabilização quando ainda era filhote. Ou seja, muito provavelmente não foi apresentado “ao mundo” de forma agradável. Separamos algumas dicas para te ajudar a lidar com um cachorro medroso. Confira!

Cachorro medroso: faça ele reconhecer barulhos do dia a dia

Um cachorro com medo de chuva, por exemplo, provavelmente não irá conseguir lidar bem em tempestades e até em chuvas mais fracas. Isso acontece porque o pet passou dos três meses de vida e não conheceu pessoas diferentes ou teve estímulos de defesa a barulhos, objetos, cheiros, entre outros.

Independentemente da forma como o medo se manifesta, é preciso ter calma e cautela. Afinal, o animal é quem mais sofre nessa situação.

Cada indivíduo reage de forma diferente e em tempos diferentes. O principal objetivo é fazer com que um cachorro medroso ganhe confiança. Sendo assim, NUNCA o engane.

Evite algumas atitudes com um cachorro medroso

Não tente passar a mão e abraçar seu amigo quando ele estiver com crises de insegurança. Isso porque um cachorro com medo de fogos, chuvas e outros barulhos pode achar que você o está enganando. Para ele, essa é uma traição bem grave.

Além do mais, você poderá levar uma mordida, mesmo que esteja na melhor das intenções.

Espere que o cachorro vá até você!

Deixe que o cão chegue até você! Essa é uma forma super segura de ajudar seu cachorro com medo de trovão e outros barulhos mais altos. Se for preciso, coloque-o em uma guia e não olhe para ele fixamente, pois cachorros medrosos entendem isso como uma ameaça.

Presenteie-o com petiscos para ajudá-lo

Um estímulo, como petiscos para cachorro, é extremamente importante. Dê sempre que ele estiver curioso com você e nunca quando estiver latindo, com cuidado para não assustá-lo. Talvez você precise fazer essa apresentação várias vezes.

Até mesmo em casos de cachorro com medo do nada, o tratamento para ajudá-lo a enfrentar as angústias exige certo tempo. No entanto, com as atitudes certas, logo o pet vai perceber que pode confiar em você!

Por isso, tenha paciência e repita o exercício quantas vezes forem necessárias. Pode ter certeza de que, com o tempo, o cachorro medroso estará mais confiante e você poderá se aproximar cada vez mais.

Mas lembre-se: ele ainda poderá ter essa atitude com outros e, sendo assim, o treino deverá ser mantido até que você tenha certeza de seu amigo está seguro com pessoas e situações desconhecidas.

 Fonte: Petz

 

 

Leia mais...

A pneumonia também afeta os cães

Há uma série de doenças bastante comuns entre os seres humanos que também podem afetar o mundo dos cães, e tanto a gripe como a temida pneumonia fazem parte deste grupo. Podendo deixar o animal acometido extremamente debilitado, a pneumonia em cães é uma ocorrência que envolve grandes riscos de vida e, por isso, deve ser tratada com a maior agilidade possível quando se manifesta – aumentando as chances de recuperação do cachorro doente.

Ocorrendo, principalmente, em função de outras doenças consideradas mais ‘simples’, a pneumonia em cachorros pode ser confundida com uma gripe com certa facilidade, e cabe aos donos de pets caninos ficar de olho nos principais sinais apresentados pelo animal – podendo, desta forma, identificar a presença de uma doença mais grave e levar o pet para se consultar com um médico veterinário.

Leia mais...